Bio Zara Larsson- Lollapalooza

Antes de mergulhar nos EUA com dois singles de grande sucesso, “Lush Life”, que recebeu disco de platina, e “Never Forget You”, parceria com MNEK certificada com duplo disco de platina, a cantora pop sueca Zara Larsson já era uma estrela na Europa graças aos seus dois EP’s (Introducing e Let Me Reintroduce Myself) e uma série de singles multiplatinados (“Uncover”, “Carry You Home” e “Rooftop” que aparecem no seu álbum 1, de 2014. Ela também foi parceira de Tinie Tempah em “Girls Like” e de David Guetta em “This One’s for You”, canção oficial da UEFA Euro 2016. Em apenas dois anos desde o lançamento de 1, Larsson viu sua carreira decolar às alturas.

Ela foi nomeada pela revista Time como uma das “30 Adolescentes mais influentes de 2016” e se tornou parte do “Spotify Billions club”, formado por artistas que alcançaram a marca de um bilhão de streams na plataforma digital.

A personalidade confiante de Larsson aparece com tudo em So Good, no qual sua voz poderosa também se destaca. Como afirmou a GQ: “Muito do apelo de Larsson vem de sua habilidade em se encaixar na canção. Suas vocalizações são como um camaleão”, acrescentando que ela é capaz de mudar sem esforço de diva do electro-pop, como em “Never Forget You”, para algo próximo a Rihanna, como faze em “Lush Life”.

A facilidade de adaptação vocal de Larsson atende à natureza eclética de seu álbum, com fortes raízes no pop e com canções influenciadas pelo R&B, dancehall, British house e EDM. O single “Ain’t My Fault”, produzido por MNEK leva pitadas de pop, trap e banger, enquanto “I Would Like”, produzida por Monsters & Strangerz é influenciada pelos sintetizadores do house e percussão eletrônica. O R&B noventista “So Good” (featuring Ty Dolla $ign) e a balada crescente “What They Say” permitem a Larsson mostrar seu lado mais suave, com uma vibe soul e tempos mais lentos.

“Minha visão era basicamente reunir um punhado de boas canções que eu amo e partir daí”, diz ela sobre So Good, que conta com participações de Stargate, Charlie Puth, The Monsters & Strangerz, MNEK, Livvi Franc, J Hart, MACK e X-plicit, entre outros. “É pop, mas há algumas canções rítmicas, algumas dançantes, algumas baladas. Não estou tentando provar às pessoas que sou super madura, como ‘Olhe para mim, eu posso fazer canções sexy’. É apenas quem sou e o que gosto”.

À medida que promove So Good, Larsson afirma que é um ótimo primeiro álbum. “Estou muito orgulhosa de cada música”, diz ela, embora reconheça que é apenas mais um passo na estrada rumo ao estrelato mundial. “Estou a caminho, mas nem estou perto de onde eu quero chegar. Quero lotar um estádio atrás do outro. Quero fazer discos multiplatinados. Quero que as pessoas se conectem e amem minha música, e quero dar amor de volta a elas.

Quero coisas importantes. Nunca fiquei satisfeita com nada na vida, e provavelmente também não ficarei na música. Não é como acordar um dia e pensar, ‘Agora vou só me estabelecer e ser feliz’. Acho que sempre vou ter fome por mais. Essa é a pessoa que eu sou”.

 

Compartilhe com seus amigos!